Uma Reflexão sobre a História dos Jogos Olímpicos

Sabia que tem muita gente perdida sem saber o verdadeiro significado dos jogos olímpicos? Principalmente, nesse momento de crise que o nosso país se encontra. Isso nos mostra a falta de patriotismo que nós, brasileiros, temos deixado de expressar. Na verdade, os jogos são uma tradição. E, eles tem muita coisa para nos ensinar e até mesmo mostrar como é o Brasil de verdade.

Mas, para contextualizar um pouco: você sabia que os jogos são realizados há mais de 2.000 anos? Pois é, os gregos valorizavam as olimpíadas e sua real origem é cercada por mistérios. Dentre as lendas que o cercam está a de que foram Hércules e Zeus os criadores desse espírito olímpico. Mesmo sendo fruto de uma lenda ou não, o significado dos jogos tornou-se algo muito maior do que era inicialmente.

Os Jogos Olímpicos da Era Moderna

Os jogos como são atualmente, começaram em abril de 1896, na cidade de Atenas. Participaram delegações de 14 países e 241 atletas que disputaram em nove modalidades. A partir daí, ficou decidido que aconteceriam de quatro em quatro anos.

Apenas durante as Guerras Mundiais (1914-1918/ 1939-1945), eles foram interrompidos. Os jogos conquistaram a alegria e a união de diversos povos. Outra novidade, foi a presença de atletas paralímpicos, que começaram a participar das modalidades há pelo menos cem anos. Mas, apenas após a 2ª Guerra Mundial que eles foram aceitos mundialmente, tanto é que os primeiros jogos com o termo paralímpicos iniciaram em Roma, na Itália. As olimpíadas representam superação de desafios e novidade para o surgimento de grandes feitos!

Os Jogos no Brasil

Agora, em sua 31ª edição, o Brasil teve a oportunidade de sediar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, cuja cidade-sede é o Rio de Janeiro, a cidade maravilhosa. Ela foi escolhida em 2009, na Dinamarca e no dia 27 de abril de 2016, a tocha chegou ao país passando por mais de 300 localidades.

É interessante ver como toda essa movimentação impactou a vida de todas as pessoas: pedidos de casamento, multidões que se aglomeraram para ver a passagem da tocha, compartilhamento social, tecnologia e até da quadrilha a tocha participou. Mesmo com as ameaças frequentes pelo mundo, algumas delas pararam para refletir sobre os problemas sociais, ora ajudando, ora criticando. E, será que não seria o momento de realmente unir este país que está tão ferido pela crise e as desigualdades sociais? Não sabemos como o Brasil sairá das Olimpíadas, mas de uma coisa podemos ter certeza:

“Moramos num país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza!” Que tal aproveitar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *