Saiba tudo sobre os saques do FGTS

O dinheiro depositado no Fundo de Garantia pertence aos trabalhadores, sendo uma forma de “poupança compulsória” para quem ficar sem um contrato de trabalho formal.

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é um meio de proteção ao trabalhador demitido sem justa causa. No início de todo mês, os empregadores (aqueles que empregam) depositam, em nome dos empregados, o total de 8% do que corresponde o salário de cada colaborador em contas abertas na Caixa Econômica Federal.

Foto: (reprodução/internet)

Quem tem direito?

Todos os trabalhadores brasileiros com contrato de trabalho formal, regido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) tem direito ao FGTS, assim como ao abono salarial.

Trabalhadores domésticos, rurais, temporários, intermitentes, avulsos, safreiros (operários rurais que trabalham apenas no período de colheita) e atletas profissionais também são beneficiados!

Saques do FGTS: Conheça as modalidades

O pagamento do FGTS, via de regra, é garantido ao trabalhador demitido sem justa causa, mas nos últimos anos tem sido usado pelo Governo Federal como ferramenta de auxílio econômico e de renda.

Foto: (reprodução/internet)

Desde 2019, o Ministério da Economia tem liberado, gradualmente, a opção de saques com valores limitados aos trabalhadores. Saiba quais são abaixo.

Saque emergencial

Com o decreto de calamidade pública por conta da pandemia, o governo passou a permitir o saque no valor de um salário mínimo, ou seja, R$1.045,00, ao trabalhador que tenha saldo do FGTS em contas ativas e inativas.

Para quem optar pelo Saque Emergencial do FGTS, o pagamento será feito conforme o calendário da Caixa, com base o mês de nascimento do trabalhador.